Glossário

O Glossário Financeiro do Guia Bolso explica os termos financeiros mais usados. Nosso objetivo é te ajudar a entender sua vida financeira.

Negociação de dívidas

Quem tem dívidas não precisa se desesperar: quitá-las e falir não é a única solução, de maneira alguma. Negociar dívidas é totalmente possível e uma atitude louvável de quem quer cumprir com seus compromissos.

Antes de chegar lá, é bom conhecer alguns aspectos e técnicas deste processo. Negociar dívidas começa com um planejamento financeiro que, por sua vez, sucede a um controle de finanças. Você pode utilizar algumas das ferramentas encontradas gratuitamente à disposição na internet, como planilhas, tabelas, gráficos ou softwares de controle financeiro. E por quê? Para poder negociar dívidas, você precisa estar ciente de sua situação orçamentária. A partir destes dados, você pode traçar um planejamento. Sem ele, fica difícil avaliar as propostas de negociação do seu credor.

Dívidas no cheque especial ou no cartão de crédito pedem o cancelamento destes como primeiro passo. Não se deixe convencer pela insistência das administradoras: se for mandado de atendente para atendente no telefone, escreva uma carta em duas vias (existem modelos na internet) e envie registrada com aviso de recebimento. O cancelamento não pode ser negado, mesmo em caso de pendência no cartão.

Agora chega a hora de negociar o valor devido, que não estará mais submetido a juros tão altos. Uma das técnicas iniciais é o cuidado para não pagar mais do que deve. Você deve calcular o valor e expor ao credor, e não o contrário. Mostre que você conhece seus direitos: você pode propor o parcelamento do valor total com juros de 1% ao mês e estará agindo corretamente.

Uma vez acertada a negociação, sua dívida antiga será extinta e, ao pagar a primeira parcela, você já terá seu nome limpo. Não deixe de cumprir seus compromissos: sua palavra faz parte do acordo.

Baixe agora o aplicativo de
guia financeiro do GuiaBolso!

Baixe na AppStore Baixe na Google Play