Glossário

O Glossário Financeiro do Guia Bolso explica os termos financeiros mais usados. Nosso objetivo é te ajudar a entender sua vida financeira.

Dívida de boleto

A realidade atual da economia brasileira aponta um grande número de inadimplentes. Muitas pessoas endividadas recorrem a novos créditos para quitar seus compromissos: é aí que mora o perigo! Com um empréstimo para pagar o outro, você está sujeito a duas vezes mais juros, e o montante pode ser assustador. Pior ainda é se você está devendo para agiota, uma atividade ilegal, mas que, uma vez consumada, constitui dívida do mesmo jeito. O maior problema, porém, não é estar devendo, e sim, como negociar e fazer para que a dívida não cresça exponencialmente, ou seja, que ela pare de ser reajustada sob juros compostos.

A dívida é com o cartão de crédito? Cancele. Com o cheque especial? É melhor abrir mão dele, pois uma vez que sua dívida não aumenta mais do que o normal (sob juros de mora), você tem melhores condições de conversar com seu credor para negociar o valor que está faltando. Negociar uma dívida é uma alternativa não somente possível como desejada: afinal, ambos os lados desejam que o negócio se realize como foi previsto. Negociando sua dívida você evita que seu nome fique preso no registro de proteção de crédito e pode até conseguir descontos.

Se você já está pedindo empréstimos ou até mesmo mais um crédito para poder pagar seus boletos bancários, chegou o momento de interromper esta roda-viva.

Na hora de negociar, procure barganhar o máximo possível, tentando aumentar o número de parcelas para a quitação do valor total.

Uma dívida de boleto alta nem sempre é 100% culpa de quem não paga: se os juros devidos são abusivos, esta é uma razão para registrar uma queixa contra o credor no Juizado de Defesa do Consumidor de sua cidade.

O melhor mesmo é não deixar a inadimplência chegar, controlando suas finanças e reduzindo gastos.

Baixe agora o aplicativo de
guia financeiro do GuiaBolso!

Baixe na AppStore Baixe na Google Play